Croácia

Croácia 2017-07-07T12:11:31+00:00

Momentos na Croácia.

15/09 – Acordamos numa felicidade extrema, cada vez que entramos num país diferente a gente fica empolgadão. O inicio do pedal foi tranquilo, lugares bonitos. Até chegar na cidade grande de Rijeka. Passou uma galera num caminhão e lascou uma buzinada no meu ouvido que ele ficou doendo, não fiz nada de errado, é que na cidade grande, as pessoas odeiam ciclistas, essa é a real. Encontramos um casal de cicloviajantes poloneses, muito engraçados. Era uma segunda, povo estressado. Tratamos de sair fora logo. Passamos por lugares bonitos no litoral, mas cheio de concreto estragando a paisagem. Diocamping numa mata perto da estrada.

16/09 – Acordamos empolgados de novo. As paisagens foram ficando cada vez mais lindas. Os croatas são muito simpáticos. Vimos um camping num lugar tão lindo que fomos ver o preço. Algo em torno de 15 euros. Decidimos ficar, tomar uma cervejinha e dar aquela relaxada. O camping ficava numa pedra virada para o mar, com uma vista maravilhosa. De madrugada levantei para fazer xixi, vi um céu negro com poucos estrelas muito brilhantes. Ali ventava muito, quase que saímos voando com barraca e tudo.

17/09 – De manha fui tomar banho, tirei a trava da porta para poder fecha-la, o vento empurrou a porta e me jogou pra dentro do banheiro, o problema foi que eu dedo do meio do pé ficou, cacetaaaaaaaa, que dor. Com o vento croata não se brinca. Pedalamos numa estrada beirando o mar muito linda. Fomos até Senj e de lá pegamos as montanhas rumo ao parque nacional. Muita subida. Encontramos 3 cicloviajantes belgas, eles não iam parar mas quando falamos que éramos do Brasil, pararam na hora. Gente, como nos somos amados viu. Todo mundo adora o Brasil e os brasileiros. A subida tava bem puxada, meu dedo doendo muito, sorte que achamos um local bom pra diocampar, era uma floresta linda cheia de cogumelos de vários tipos.

18/09 – A noite foi fria e gostosa. Subimos mais ate passar a montanha, aí o pedal começou a ficar gostoso. Passamos por vários povoados. Por campos lindos. As pessoas colhendo suas batatas, nas suas casinha. Que coisa linda que é o campo da Croácia. Tem uns velhinhos que dá vontade de ir lá abraçar, de tão bonitinhos. Conseguimos água quente e fomos procurar diocamping. Tomamos banho logo pra agua não esfriar num local qualquer. Chegamos tinha um monte de aves gigantes, nos viram e vazaram. Thiago foi procurar um lugar pra montar a barraca e quase pisou em alguma coisa. Era uma coisa peluda e respirava. Quando fomos ver, era um gatinho bebe, totalmente escondido e imóvel. Estava extremamente assustado. Fui lá com calma peguei ele e o protegi. Ele não parava de tremer e estava super ofegante. Aquelas aves que vimos devem ter pegado sua família, ele acabou se salvando. Eu nunca tinha ficado com tanta dó de um gato. A primeira vez que vi aqueles olhinhos azuis e tristes me olhando, ai que dó. Dormiu com a gente na barraca. A noite ficou miando muito igual neném. Demos o nome de Pivete pra ela.

19/09 – Pivete não deixou a gente dormir, ainda tava assustada. Pela manha fomos arrumar as coisas e ela só queria saber de ficar escondida do mundo. Colocamos ela na bolsa de guidão, coube certinho, ela ficou super confortável. Fomos procurar um novo lar pra ela. Logo no primeiro lugar que paramos, oferecemos para um cara. Ele ja pegou ela e ficou fazendo carinho. Ebaaa, achamos um pai pra Pivete. Adeus Pivete. Você é uma guerreira. Entramos no Parque de Plitvice, é imenso, é lindo. O local das cachoeiras fica ha uns 30 km ainda. Tem algumas casinhas bem antigas. Diocampamos num lugar maravilhoso.

20/09 – Choveu muito pela manha, fomos sair do diocamping lá pelas 3 da tarde, nem ia rolar de visitar as cachoeiras. Encontramos um camping muito fino. Meio caro, 20 euros, mas valeria a pena. Tinha onibus de graça que levava e buscava até o parque, não íamos precisar levar as bikes. Fechou!

21/09 – Acordamos cedinho, tava um sol lindo, fomos para o parque. Para visitar um dia paga 110 kunas, 2 dias são 180 kunas. É um rolezão irado. Você caminha dentro do parque, passa por muitas cachoeiras, são belezas naturais sem fim. Cenário de filme total. Ainda pega vários barcos para atravessar para os outros lados. Simplesmente sensacional. Se vierem a Croácia não deixem de visitar esse parque, foi o mais lindo que ja fui na vida. Totalmente acessível para os idosos. Encontramos um casal de brasileiros viajando de moto, Marcia e Ricardo. É muito bom encontrar brasileiros e trocar idéias com viajantes experientes. Eu e o Thiago ficamos destruídos da caminhada.

Post Anterior
Próximo Post